News Corp. terá uma unidade voltada ao entretenimento, como TV e cinema, e outra, aos jornais

Empresário nega que decisão tenha sido motivada por escândalo de grampos em jornal ou por sucessão familiar

A News Corp., de Rupert Murdoch, 81, confirmou ontem que pretende se dividir em duas empresas.

Uma será voltada a entretenimento, com a rede Fox e demais ativos de TV e cinema. A outra reunirá jornais como “Wall Street Journal” e outras operações, inclusive a unidade educacional.

Em comunicado, Murdoch disse que o conselho da corporação, anteontem, por unanimidade, “determinou que criar a nova estrutura simplificaria operações e alinharia prioridades estratégicas”.

Falando depois aos canais CNBC e Fox Business, este também do grupo, ele negou que a decisão tenha sido tomada em reação ao escândalo dos grampos do jornal londrino “News of the World”, fechado no ano passado.

Negou também que a divisão tenha relação com a sucessão familiar na News.

Na nova estrutura, Murdoch será presidente (chairman) e principal executivo (CEO) da unidade de entretenimento, além de presidente da unidade de imprensa. O CEO desta última não foi escolhido, e analistas apostam em seu filho mais velho, Lachlan.

Murdoch comentou ser “improvável”, mas não descartou Lachlan, ao afirmar que ele tem de “querer” e “merecer”.

O empresário disse ainda ter desistido de comprar o controle da operadora britânica de TV por satélite BSkyB, da qual já detém 39% do capital, argumentando estar hoje apostando na economia americana, não na europeia.

“São bilhões e bilhões de dólares. Se o Reino Unido não quer o dinheiro, há muitos bons lugares para colocá-lo.”

Para o analista de mídia Ken Doctor, a divisão da corporação já fazia sentido antes do escândalo dos grampos. Cita como modelo a separação entre Viacom e CBS, seis anos atrás, que também haviam crescido demais.

“Mais importante”, a divisão permite a Murdoch se distanciar dos jornais e se concentrar em seu “objetivo implacável de dominar a distribuição global de entretenimento e esportes”. A News entrou nos últimos meses na disputa pelo futebol no Brasil com o canal Fox Sports.

Doctor não acredita que o magnata tenha desistido de adquirir o controle da BSkyB.

Fonte: FSP em 29 de junho de 2012 por Nelson de Sá