Quanto mais cedo os negócios se ocuparem com as questões relativas à delegação de poder, maior é a chance de longevidade do empreendimento.

A ideia de que governança corporativa é assunto apenas para grandes companhias familiares, e não se aplica a pequenas e médias empresas, é bastante difundida no meio empresarial. Tal afirmação, porém, não reflete o real significado do conceito de governança. Em sua essência, governança implica alinhar interesses derivados da delegação de algum tipo de poder.Ou seja, “alguém” governa em nome de “outro alguém”, que delegou direitos para esse exercício de poder. Seja no caso de um gestor contratado que governa em nome do dono, ou de um irmão que governa em nome dos familiares, a minimização de conflitos de interesses inerentes à delegação de poder é o desafio central das práticas de governança, seja qual for o tamanho do negócio.

<leia mais>

Fonte: PEGN, por Cláudio A.P. Machado Filho